Até que ponto vale a razão?

 Existe uma brincadeira chamada "cabo de guerra" em que uma corda, com duas pessoas dando o seu melhor, cada uma puxando de um lado, tentam descobrir quem é mais forte para provocar o esgotamento do adversário primeiro. A situação só acaba quando um dos indivíduos desiste, ou quando já está desgastado o suficiente para continuar e, simplesmente, um complexo de corpo e mente, decide que ele não aguenta mais. 
E quando a brincadeira acaba, o que acontece? Têm-se duas pessoas, fisicamente e emocionalmente, desgastadas. Uma para aceitar a derrota e outra para comemorar a vitória. Isso, se elas acharem que valeu a pena tanto esforço para uma recompensa quiçá trivial.

"Razão, no sentido geral, é a faculdade de conhecimento intelectual próprio do ser humano, é um entendimento, em oposição à emoção. É a capacidade do pensamento dedutivo, realizado por meio de argumentos e de abstrações. É a faculdade de raciocinar, de ascender às ideias."  Esse conceito -retirado do site significados.com.br- mostra-nos que a razão é algo tão pessoal, quanto a capacidade de discernimento individual. Suas concepções de certo/errado são fatores determinantes nas suas ações e reações perante os outros. 

Existem pessoas que rompem relacionamentos, que acabam com vínculos familiares e perdem amigos ou, até mesmo, o emprego porque querem ter a razão sobre tudo. Essas pessoas, que acham estar sempre certas, e não abrem a mente para novas ideais ou percepções, acabam carregando o título de "o dono da razão". Desse modo, eu e você sabemos que, o artigo "o", no início desse termo, junto a todo o restante da expressão, tem uma carga bem pesada. Afinal, ser "o dono da razão" é algo negativo em inúmeros fatores... Isso acaba definindo um indivíduo que não tem habilidade para se relacionar com o próximo; alguém não flexível e estacionado no tempo. Talvez, por essa razão, "os donos da razão" sejam pessoas tão solitárias.


Se você quer ter sempre a razão sobre tudo, ou conhece alguém que é assim e quer ajudar, o melhor conselho que você pode dar é: seja leve, releve... O mundo é uma porta de possibilidades. O tempo é instável para se prender ao orgulho ou ao fato de "estar sempre certo". A vida é uma grande incerteza, então, pra que tudo isso? E agora, diante de tanta informação, eu te pergunto: até que ponto vale ter razão?