cativas estrelas do céu (no meu) mar


Sei que você se considera responsável por mim, pelo fato de ter me cativado. Mas saiba que apesar de querer-te, não quero que sinta isso. Você não é responsável por eu ter fixado em minha mente o momento em que você sorriu, mordendo o canto interno dos lábios, enquanto frange uma das sobrancelhas e eleva a outra. Você não é o responsável por eu estar sorrindo sempre que estou contigo, ou fazendo algo pra você. Você não é o responsável por seu olhar ser marcante o suficiente para gravar nos meus, os seus castanhos. Você não é o responsável por ser minha notificação favorita; pelas noites em claro; pelos textos de amor e letras de músicas que, agora, moram em minhas listas de reprodução. Você não é responsável por ter conseguido cativar inteiramente o meu coração. 

Porque o que te faz não é responsabilidade sua, e na realidade, eu nem sei, na verdade, quem tem responsabilidade sobre isso. Mas com certeza, você é uma das melhores coisas que me aconteceu. Escutaria discos inteiros, de músicas intermináveis ao seu lado. Faria de meus olhos, os maiores admiradores seus. E me esforçaria para o único motivo da minha ansiedade ser a sua chegada. Compraria tudo que pudesse do Harry Potter, só pra te ver feliz, como uma criança que acabou de ganhar um presente do Papai Noel. Tentaria ser o melhor príncipe, dos contos de fadas da Disney, pra você. E viveria ao seu lado a história de amor mais dramática e mais bonita do Nicholas Sparks —porque as do John Green são tristes demais para o nosso astral.


 E falando em astral, quem diria que fogo gostaria tanto de água? Apesar de ser meu elemento com menor afinidade, acho que você foi a parte mais empática da minha realidade. Simpatizei "de cara" na sintonia perfeita de pessoas imperfeitas com uma necessidade enorme de fazer transbordar. E você continua transbordando, do "bom dia" ao "tchau". Em pensar que eu não queria nada, mas, de repente eu só quero nadar em tudo que existe de você. Oceanos, amores e planetas, está tudo na mais intensa e melhor sintonia de nós. Então vem, que a saudade é tanta e os desejos são imensos demais para guarda-los dentro do peito. Vamos dar às mãos e deixar nosso corpo imergir, quase sem querer, na superfície do amar, enquanto isso, me deixa admirar as incontáveis estrelas do céu (olhar).